Contos Fantásticos | CONTOS DE TERROR
Você está aqui: Home > Contos Fantásticos
Contos Fantásticos


O homem correto PDF Imprimir E-mail
(9 votos, média de 4.11 em 5)
Escrito por Alessandro Reiffer   
Sex, 05 de Abril de 2013 00:00

 

O  homem correto

 

Abordaram-me durante uma manhã de sol.  Disseram que eu estava indo para o trabalho pelo caminho errado. Garantiram-me que, para meu próprio bem, eu deveria seguir por outro caminho. Protestei que, para mim, o caminho que percorria naquele momento era perfeito, que eu sempre o fizera, e que não via por que outro seria melhor. Mostraram-me então o caminho que eu deveria percorrer. E não somente naquele dia, mas por todos os outros em que eu fosse trabalhar. Caso não fosse por ele, seria punido. O que era, segundo eles, perfeitamente justo, uma vez que era tudo para o meu próprio bem.

 
O aliado dos ultraterrestres PDF Imprimir E-mail
(4 votos, média de 3.50 em 5)
Escrito por Rogério Silvério de Farias   
Dom, 17 de Março de 2013 00:00

O aliado dos ultraterrestres

 

Meus experimentos com o chá de cogumelo foram longe demais. Creio que ultrapassei o limiar da loucura. Acabei misturando tudo: o maldito LSD; o capacete eletrônico de ativação da glândula pineal, que eu mesmo inventei e os chás de cogumelo. Este capacete que falo, eu o chamei de “Capacete Pineal”, e ele emite, através de eletrodos especiais internos, pequenos choques que ativam tal glândula. A pineal é a chave mental para abrir os portais para outras dimensões, mundos ultraterrestres que estão bem ao nosso lado. Mundos feitos de matéria etérea ou matéria física num determinado grau vibracional.

 

 
O banquete PDF Imprimir E-mail
(1 voto, média de 4.00 em 5)
Escrito por Pauline Kisner   
Dom, 17 de Março de 2013 00:00

O banquete

 

À minha frente achava-se uma figura de formas horrendas e retorcidas, por certo digna dos contos feéricos, cujos cabelos eram já cãs ralas. Sua pele, muito enrugada e sem cor, tinha inúmeras fotografias marcadas, como tatuagens ou cicatrizes, não posso precisar. Quando gargalhava, a boca exalava um odor putrefato como o de velhas catacumbas, privando-me por completo de qualquer apetite... Notei então que tinha a seu lado uma criatura diminuta e não menos caricata, dotada de olhar tal que me gelou o espírito e faltou-me o ar. Falava-lhe ao ouvido, alisava seus cabelos ressequidos e a outra ria, admirando-se num espelho velho e torto, tal qual uma rainha de fábulas.

 
O Primeiro PDF Imprimir E-mail
(4 votos, média de 3.50 em 5)
Escrito por Giovani Iemini   
Qui, 14 de Março de 2013 00:00

 

O Primeiro

 

A ideia foi tão simples quanto sua aplicação. Um médico inventara um substrato de cana de açúcar que imitava sangue para ser usado em transfusões. Bastou então pegar o seu cordão umbilical guardado na caixa de fotos da mãe e reproduzir, ou replicar, as células-tronco diretamente no substrato, criando assim uma versão infantil do próprio sangue.

 

 
O Diabo e o Pedreiro PDF Imprimir E-mail
(15 votos, média de 4.73 em 5)
Escrito por Paulo Soriano   
Qui, 14 de Março de 2013 00:00

 

O Diabo e o Pedreiro

 

Anselmo sorriu da  astúcia do Diabo.  Se pedisse cinquenta mil moedas  de ouro, cem mil reais tilintariam  nos alforjes dourados  do inimigo; se exigisse uma mão repleta  de diamantes, o Diabo encher-lhe-ia as duas  com grandes  pedras  cintilantes, de magnífico e dobrado valor; se pedisse um condado,  o rival  teria todo um reino para explorar.  E, malgrado rico, malgrado poderoso,  a sua amarga inveja seria ainda maior, mais intensa e  insuportável, porque o rival  gozaria o dobro da riqueza, do poder e do intolerável e ofuscante esplendor.

 

 
O lavrador e a víbora PDF Imprimir E-mail
(3 votos, média de 3.67 em 5)
Escrito por Alfredo Braga   
Dom, 03 de Fevereiro de 2013 00:00

 


o-lavrador-e-a-vibora-mini


 

 

Era uma tarde chuvosa e fria e o inverno ainda se estendia pelos campos enregelados quando um lavrador, ao voltar para casa depois de recolher um pouco de feno para a vaca com seu bezerro nascido há poucos dias, deparou-se com uma pequena víbora, toda enrodilhada e quase morta à beira do caminho enlameado.


 
Os Portais de Ébano PDF Imprimir E-mail
(3 votos, média de 4.33 em 5)
Escrito por Henry Evaristo   
Qui, 31 de Janeiro de 2013 00:00

 

os-portais-de-ebano-mini

 

Diante dos portais de ébano de Dharan-Tyr, na Swyrnea, eu caí subjugado pelo poder dos deuses mortos. E suas vestes azuladas roçaram meu rosto como a proferir enigmas vitais.

 

 

A tarde que findava nas distâncias do horizonte trazia-me em ventos cálidos sentimentos de regozijo por me encontrar, depois de tantos anos de sofrimentos e dúvidas, ao alcance das vistas daquelas excelsas presenças.

 

 
O Mesmo PDF Imprimir E-mail
(2 votos, média de 4.00 em 5)
Escrito por Roberto Prado Barbosa Júnior   
Qui, 31 de Janeiro de 2013 00:00

 

O mesmo

 

 

O despertador toca às seis horas em ponto.

Mais um dia, um dia igual ao de ontem, em suas alegrias e tristezas, o mesmo sol, as mesmas nuvens no mesmo lugar, como se fossem pintadas na tela azul do céu. O canto dos pássaros como num disco de vinil arranhado. E ele que gostava do canto dos sanhaços...


 

 


Página 5 de 7

 

PageRank

Pesquisa de informações

Leitores Online

 

Área de Autenticação








Após o cadastro, acesse seu e-mail e siga as instruções.
Copyright © 2019 CONTOS DE TERROR. Todos os direitos reservados.
Joomla! é um Software Livre com licença GNU/GPL v2.0.